segunda-feira, 10 de abril de 2017

às três e pouca, no sereno da madrugada, naquele terraço da casa dos teus amigos. sob a neblina de fumaça dos teus cigarros misturada ao frio incomum do rio. te olho sem olhar, desviando meus olhos dos seus, e solto:
—há possibilidades altas... altíssimas, talvez... de eu estar viciada em você —digo em meio a dois goles de uma batida péssima com sabor de câncer e aroma de abacaxi
você ri, constrangida, e se faz mais uma vez de convencida:
—pode continuar viciada que eu deixo.
não sei exatamente o porquê, mas nesse momento eu percebo que gostaria de passar ali o resto do mês de abril. sem grandes outros desejos ou beijos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário